08 fevereiro 2017

Purificação por meio da Palavra de Deus.


Palavra: Salmos 19:12-13

            Nunca conseguiremos compreender a gravidade do nosso pecado; quanto mais purificarmos a nós mesmos! Se quisermos levar uma vida verdadeiramente pura e sem pecado diante de Deus, devemos permitir que a sua Palavra, juntamente com o seu Espírito, examine nosso coração, mente e comportamento. Ao fazermos isso, nossos pecados são expostos à luz da Palavra de Deus; e, pelo poder do Espírito Santo em nós, podemos confessá-los e nos afastarmos deles. Em 1João 1:9, temos a promessa de que, ao fazermos isso, Deus “cumprirá a sua promessa e fará o que é correto: Ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade”.
            Se, pelo contrário, tentarmos encobrir nossos pecados, causaremos a nós mesmos enorme sofrimento e, geralmente, acabaremos cometendo um pecado muito maior do que o anterior. Permitir que a Palavra de Deus examine o nosso coração e a nossa mente não somente trará a purificação dos pecados cometidos, mas também ajudará a prevenir futuros deslizes. Além da certeza do perdão de Deus, temos a sua promessa de que Ele esquece os nossos pecados (Jeremias 31:34).

            Deus deseja nos perdoar e nos restaurar, mas nem por isso devemos transformar o perdão de Deus em algo corriqueiro (Salmo 32:1-5). Ao permitir que o Senhor cuide de nós, descobrimos que não há nada mais libertador do que confessarmos nossos pecados (concordando com Deus sobre um comportamento pecaminoso), nos afastarmos deles e permitirmos que o misericordioso perdão de Deus nos purifique.

Graça e Paz! 




30 janeiro 2017

Plano de Leitura Bíblica

Olá pessoal!
Para quem ainda não assistiu o vídeo “14 dias sobre a vida de Jesus” clica aqui e assiste antes de continuar lendo esse Post .

Agora para você que já assistiu 💛
A Paz do Senhor 😂

Como prometido no último vídeo do canal, aqui esta a planilha do nosso plano de leitura, você pode salvar a imagem no celular ou computador, imprimir ou apenas copiar no seu caderninho mesmo, como achar melhor, o importante é que venhamos meditar na palavra juntos, sobre a vida do nosso Jesus!




Deus abençoe, graça e Paz!

26 janeiro 2017

Os nossos sonhos e a vontade de Deus - Parte final

Meu sonho é “de Deus”?

Nossa minissérie chegou ao fim, concluímos falando sobre o que devemos fazer quando ainda não temos certeza da vontade de Deus.
Caso ainda não tenha lido as partes anteriores, aqui estão: parte 1, parte 2 e parte 3.




E agora? Como podemos  saber quais “sonhos” Deus deseja que sonhemos?

A Bíblia nos ajuda a entender que devemos agir como Neemias nos capítulos 1 e 2 de seu livro. Quando Neemias sentiu arder em seu coração que seu destino era ir a Jerusalém e restaurar os muros, ele poderia ter confiado em seu coração e corrido para cumprir sua missão, mas antes de ir, ele jejuou e orou ao Senhor, o Senhor então confirmou Sua vontade concedendo-lhe os meios para realizar a obra. Neemias não tomou a frente de sua missão, ele entregou o que estava em seu coração a Deus antes de tudo. 

Portanto, entendamos que não é só porque algo "arde" em nosso coração que esse é nosso destino, que esse é nosso ministério, afinal, o coração do homem é enganoso (Jeremias 17:9) e nós caímos em muitos erros por segui-lo. Sujeitemos a Deus todos os nossos sonhos antes de nos apressarmos em planejar, ou em realizar, assim teremos a segurança de que Deus se responsabiliza por tudo que acontecer. Esperar a resposta de Deus antes de agir não é covardia, é exercitar a fé e estar seguro em Deus.

Nada disso significa dizer que você deve permanecer parado na vida enquanto não sabe o que Deus planejou para você. Enquanto isso, viva para ser o melhor que puder ser.  Seja o melhor filho ou filha para os seus pais, o melhor irmão/irmã para seus irmãos, o melhor amigo para seus amigos, a melhor ovelha para sua liderança, o melhor membro para sua comunidade, o melhor vizinho da sua rua, o melhor funcionário para a empresa onde você trabalha, o melhor aluno para seus professores da escola/faculdade e, ao mesmo tempo, busque a Deus, medite na Palavra, ore, jejue, consagre sua vida a Deus e se mantenha humilde. O que não falta é coisa para fazer! Nesse meio tempo, com toda a certeza, Deus revelará Sua vontade a você e você estará apto a ouvir, a compreender e a sonhar de acordo com a vontade do Pai.

Espero que essa reflexão tenha edificado a sua vida!


Comente, curta, compartilhe, vamos falar sobre o nosso Aba!

Jenifer

24 janeiro 2017

Os nossos sonhos e a vontade de Deus - Parte 3

Sonhos que não são “de Deus”





E nossa minissérie continua! Se não leu ainda, clique para ler a Parte 1 e a Parte 2. 

Já falamos sobre os sonhos que Deus deu para nossos conhecidos na Bíblia, que resultaram em obras maravilhosas; mas nem sempre esses homens e mulheres de Deus conseguiam acertar em suas intenções.

Não há apenas exemplos de pessoas que não sonhavam realizar, mas realizaram. Há também exemplo de alguém que sonhou, mas Deus não aprovou o sonho: Davi. Houve um momento em que ele teve um sonho: construir um templo para Deus. E ainda que a intenção de Davi fosse boa, essa não era a vontade de Deus para a ele; e Deus, portanto, respondeu um doloroso e sonoro “não” (II Samuel 7: 2-5).

O que quero dizer com esse exemplo? Quero dizer que o plano que Deus tem para nossa vida é originado nEle, não somos nós nem as nossas habilidades que determinam, não somos nós que planejamos e não somos nós que realizamos. É possível que o que Deus tem para nós seja algo que nós jamais sonhamos, ou até algo que rejeitamos inicialmente. O fato é que ninguém ensina Deus a trabalhar, Ele é onisciente. 

Muitas vezes, temos boas intenções e planejamos algo para o futuro acreditando que essa é a vontade de Deus e até recebendo apoio de outras pessoas, assim como o profeta Natã apoiou Davi em II Samuel 7, então tentamos e tentamos sem sucesso – ou até somos bem sucedidos, mas sem o aval de Deus –, até descobrir que, na verdade, nosso projeto não está dentro da vontade de Deus.


Precisamos compreender que qualquer coisa que conquistamos sem a aprovação de Deus jamais será melhor do que o que Ele realmente preparou para nós. Sansão é um grande exemplo de pessoa que tinha um destino traçado por Deus, mas se arrebentou antes de cumprir seu propósito, pois ele seguia seu próprio coração e não a voz de Deus. Há também o exemplo de Saul, que foi ungido por Deus, mas desviou seus caminhos, seguindo sua própria vontade, e teve sucesso apenas temporário.

Muitas vezes, a voz de Deus está camuflada na voz de nossos pais, de nossos líderes, mas costumamos dar ouvidos apenas às vozes que confirmam a vontade de nosso coração e deixamos outras possibilidades de lado. Tomemos mais cuidado!


A próxima parte encerrará a nossa minissérie, oro para que esteja sendo edificante para vocês, até! :)


Jenifer

19 janeiro 2017

Os nossos sonhos e a vontade de Deus - Parte 2


Quem escolhe é Deus



Antes de começar a ler, lembre-se que esta é uma "minissérie" de posts, então, se você ainda não leu a parte 1, clica aqui para não perder nenhum pedacinho! Clicou? Agora sim. :)

      Vamos continuar a falar sobre sonhos? Hoje, o texto será um pouco mais longo, pois a Bíblia é muito rica em exemplos.

     Gênesis (capítulo 37:5-7,9- 11) relata a história de José, filho de Jacó, que sonhou - literalmente - os sonhos que Deus havia dado para ele. Tal fato despertou inveja em seus irmãos, pois, em seus sonhos, José estava destinado e ser o chefe de sua família, mesmo sendo o mais novo entre seus irmãos. José não havia pedido que Deus o tornasse grande, ele nem mesmo desejava que seu pai, Jacó, amasse a ele mais do que amava a seus irmãos. Mas assim aconteceu.  Se você conhece a história, sabe que estes fatos estavam no plano de Deus: José seria vendido pelos irmãos e se tornaria escravo e prisioneiro no Egito até se tornar o governador que livraria a semente de Abraão de uma grande seca que arrasou a terra naquela época.

    Como José poderia imaginar que esse era seu destino?  E como ele poderia adquirir um caráter impecável, um espírito forte e um coração fiel estando entre irmãos que o invejavam e destratavam, e tendo um pai que o mimava em detrimento de seus irmãos? Por meio das provações que José enfrentou nos caminhos onde passou antes de se tornar governador, Deus forjou seu caráter e o preparou para uma obra extraordinária que, com certeza, nem em seus maiores sonhos, José poderia imaginar. Além disso, com o caráter forjado por Deus, José foi capaz, inclusive, de perdoar seus irmãos pelo mau que fizeram a ele, mostrando assim que compreendera que tudo estava nos planos de Deus. Esse tipo de plano só poderia ser coisas de Deus, o sabedor de todas as coisas.

    Mencionei José primeiro porque é impossível falar de sonhos e não ter a figura dele em primeiro plano em nossa mente. Porém, voltando um pouco no Gênesis, encontramos também a história de Abraão, nosso pai na fé.  A partir do capítulo 12, Gênesis narra a história do homem em quem todas as nações da terra seriam abençoadas. Abrão vivia no meio de pessoas idólatras. Mas Deus o chama e o envia a uma terra distante e Abrão, sem saber como exatamente Deus executaria Seus planos em sua vida, simplesmente obedeceu e se deixou ser guiado até Canaã. No meio do caminho, a única expectativa de Abrão era deixar sua herança a um dos servos nascidos em sua casa, uma vez que ele mesmo ainda não tinha filhos e Sarai, sua esposa, era estéril.

     Não encontraremos Abrão pedindo um filho a Deus, muito menos pedindo que Deus lhe desse uma grande descendência. Deus, conhecendo o coração de Abrão, sabia que ele se tornaria um amigo (não apenas servo) apto a começar o grande plano de rendição e benção para a humanidade. Os planos de Deus para Abraão eram diferentes do que ele esperava, afinal, Abraão jamais poderia prever as coisas incríveis que Deus faria por meio de sua vida. Deus daria um filho a Abrão com Sarai, e era deste filho que descenderia o povo escolhido de Deus. A história de Abraão também é um exemplo de um sonho que o sonhador não originou, foi Deus quem planejou, foi Deus quem revelou ao “sonhador”, e foi Deus quem realizou, mediante a aprovação da fé e da fidelidade de Abraão.
     
    Assim como na vida de José e de Abraão, aconteceu com Davi, que nunca imaginou que seria rei de Israel, mas teve o coração sondado por Deus e foi escolhido, pois nele foram encontradas retidão e fidelidade (inclusive, Davi tinha vocação para a música e a poesia, quem sabe o desejo de seu coração não fosse ser cantor, ou escritor? Mas isso é minha imaginação falando).
     
    Há também o caso de Jefté, que foi expulso por seus irmãos da casa de seu pai, pois era um filho bastardo, mas Deus o escolheu para comandar Israel contra seus inimigos, algo que ele jamais poderia sonhar por causa do desprezo da casa de seu pai em relação a ele (Juízes 11). Na mesma condição de não ter escolhido seu destino está Sansão que teve o propósito de Deus selado em sua vida antes mesmo de nascer (Juízes 13). E assim como Sansão, João Batista (Lucas 1) não escolheu seu ministério, foi escolhido por Deus antes de nascer. Também há o caso de Jeremias que não acreditava ser capaz de ser profeta, pois se considerava “jovem demais” e “não sabia falar” (Jeremias 1). Há a história do profeta Jonas que não aceitava que Deus desejasse perdoar os ninivitas e fugiu de sua missão, mas o plano de Deus para ele também estava traçado (Jonas 1:1-17).


    Além dessas pessoas, eu poderia citar Moisés, Ester, Gideão, Saul, Maria mãe de Jesus, Paulo, nenhum destes imaginava o destino que Deus havia preparado para eles, muito menos sonhavam com isso, mas confiaram seus destinos a Deus, que lhes deu grandes propósitos. Destaque para Maria que, não só aceitou de muito bom grado o chamado do Senhor (Lucas 1:38), como adorou a Deus por receber uma missão que ela nunca imaginou que teria (Lucas 1:46-55). Quem determina é Deus e nós somos instrumentos em Suas mãos. Glória a Deus por ter nos escolhido!

Na próxima parte, nós vamos falar sobre os "sonhos" que não são de Deus. Claro que a Bíblia  trata disso também, né... Não perca, hein? Até a próxima!

Jenifer



17 janeiro 2017

Os nossos sonhos e a vontade de Deus - Parte 1


Será que meus sonhos são puros?



   Os sonhos nos movem durante toda a nossa vida, eles são o nosso propósito. Nós, cristãos, acreditamos que esse propósito está ligado ao reino de Deus e vivemos seguros de que Deus fará qualquer coisa para que nossos sonhos se realizem e, assim, glorificaremos a Ele e, dessa forma, Seu propósito será cumprido. O convite deste texto é refletir sobre “sonhos” à luz da Bíblia.
Para começar, cito o livro de Provérbios de Salomão, número 16, versos 1,2 e 3:

          “Ao homem pertencem os planos do coração, mas do Senhor vem a resposta da língua. Todos os caminhos do homem lhe parecem puros, mas o Senhor avalia o espírito. Consagre ao Senhor tudo o que você faz e os seus planos serão bem-sucedidos.” (NVI)


   Não é raro haver uma distância entre o que Deus deseja de nós e para nós e o que queremos de Deus para nós. Deus é o único totalmente conhecedor de nosso coração e o único que sabe exatamente onde nos encaixamos nesta vida e neste mundo, portanto, Ele tem um plano para nós, perfeito, criado por Ele. Muitas vezes, passamos por caminhos tortuosos antes de alcançarmos o lugar onde Ele deseja que estejamos. Algumas vezes, Deus nos leva por esses caminhos para moldar nosso caráter; outras vezes, trilhamos caminhos difíceis simplesmente porque demoramos a compreender Sua vontade.

   É importante dizer que os planos de Deus em nossa vida jamais são iniciativa nossa, Deus planeja e nos revela os sonhos que Ele planejou e, se não estivermos atentos à Sua voz, com certeza deixaremos Sua vontade de lado e vamos “bater com a cara na porta” várias vezes antes de compreendê-la. Por isso, Salomão deixou bem claro em seus provérbios que por mais que olhemos para nossos caminhos e os consideremos bons, é o Senhor quem avalia o que há por trás deles. Salomão ainda aconselha: consagre tudo o que você faz ao Senhor, só assim você terá sucesso.

    Na parte 2 da nossa "minissérie", vamos falar dos exemplos de várias pessoas na Bíblia que percorreram os caminhos que Deus escolheu, não perca! Até lá! 


Jenifer

14 janeiro 2017

Adoração Sincera.


Deus quer o seu povo totalmente dedicado a ele.
Não podemos fingir dedicação: Deus conhece nosso coração e ele sabe se o que dizemos é verdade.
Essa é a melhor razão para adorá-lo de todo o coração – um coração puro, apaixonado por ele. Devemos buscar a face de Deus continuamente, expressando a nossa total dedicação a ele.
E alcançamos esse tipo de adoração e de dedicação compreendendo que Deus honra apenas a adoração que é acompanhada de obediência e adoração sincera. Uma adoração falsa pode resultar em diminuição da sabedoria e do conhecimento (Isaías 29:19-14).
Paulo em Filipenses 3:10, expressou o seu desejo de “conhecer a Cristo e sentir... o poder da sua ressurreição” . Se estivermos adorando a Deus sinceramente, esse será o nosso desejo também.

Teremos fome e sede do conhecimento do Senhor e não das coisas perecíveis que o mundo oferece. (Isaías 55:1-5).